Arquivo do Autor

Resenha Cinéfila em cena.

24 de fevereiro de 2011

Não era sábado pra ir pra balada, também não era quinta pra fazer um cinema em casa, era sexta, 18, e quem se decidiu pela Cinéfila não se arrependeu, a balada cinematográfica era de longe distante de tudo que o resto da cidade poderia oferecer, não poderia começar melhor o fim daquela semana.

No set do Dj Mario Olimpio predomiu… nada, ele tocou uma lista eclética que ia do popular ao clássico, rolou lambadão, inclusive Raul Seixas. Em seguida Fabricio Chabô tocou um eletro rock psicodelirante, imagens do gênio Hitchcock eram exibidas num telão, foi o passaporte pro público viajar.

A proposta de ensaio aberto aceita por Billy Brown e o Incrível Magro de Bigodes, e Cacarecos e Musiquetas foi outro fator que alterou toda a equação de status de uma festa. Era como se tivesse uma banda ensaiando na sua sala, enquanto BBIMB fazia um som com apenas guitarra e batera, suprindo com exatidão as freqüências de um baixo tal qual White Stripes. Caio Mattoso dava vazão às suas piras em um “cavalo louco”, como definiu Eduardo Ferreira.

Almerinda George Lowsbi foi a principal presença do evento, interagindo com o público daquela sua forma peculiar. Aproveitou para divulgar o seu programa “Na Cama com Almerinda” que estreou nesta segunda-feira.

A exposição de fotografia do Heitor foi uma das coisas mais comentadas, afinal a luz vermelha que remetia uma sala de revelação deu um clima, e suas fotos foram tidas como o foco mais conceitual da balada que resolveu por fim quebrar o padrão e ir contra fluxo total.

Te esperamos na próxima Cinéfila,
cada vez dando mais certo.

Clique na foto da ilustração e acesse as fotos do evento cultural.

Anúncios

#URGENTE: Almerinda divulga em seu tumblr que fará um lançamento exclusivo de seu programa hoje na Cinéfila!

18 de fevereiro de 2011

Gente, o Cinéfila hoje vai ser demais. Uma balada cinematográfica feita pelo Cellula. Só gente bonita e inteligente. Como sou rica não poderia ficar de fora. Vou fazer um Stand-up e depois vamos lançar meu programa para poucos e bons. Silval, Roseli, Chica, Blairo e Ralf já garantiram a presença. Como é bom ter amigos.

Post by: @almerindanacama

pelo visto o trem vai ser bom mesmo.

17 de fevereiro de 2011

Cinéfila a balada cinematográfica enquadra ensaio aberto e foca artes integradas!

16 de fevereiro de 2011

Na sexta, 18, na @CasaforadoEixo, uma balada cinematográfica promete esquentar a noite cuiabana, Cinéfila é um evento organizado pelo Coletivo Cellula, tem inicio as 22h.

No menu devem constar as discotecagens da primeira playlist de @MarioOlimpio e @FabrícioChabô, o diferencial dessa festa será justamente durante a atuação dos DJs, fragmentos do cinema local serão projetados, aumentando ainda o grau de psicodelia de Cinefila.

Além das discotecagens o evento mostrará um stand up com Almerinda, personagem de André D’Lucca, ensaio aberto de Os Viralastas e Cacarecos e Musiquetas, exposição de fotografias do @Htor_ , e ainda a estréia da banda Billy Brow e o Incrível Magro de Bigodes, formada ainda no ano passado,  a formação do grupo se dá apenas com dois integrantes, Caio Scholesser, ex-Lord Crossroad na guitarra e Lucas Gorduraz (@akagorduraz) na bateria.

Cellula pulsando a 200 km/h.

8 de fevereiro de 2011

Obedecendo a única lei que o Coletivo Cellula conhece, a lei que proíbe a inércia, estamos no 220V para produzir audiovisual em hell city, nesse exato momento quebrando a cabeça e montando os quebra-cabeças para inscrever dois projetos no edital da secretaria de cultura estadual.

O primeiro é o progressista Cine Lab, que visa popularizar o cinema na baixada cuiabana e no estado, o projeto deve ser o prato principal para o fomento e formação no cinema e vídeo servido pela Cellula nesse 2011.

O segundo é o curta “De Quem é a culpa”, roteiro e direção de @FabricioChabo, uma viagem que visita Sartre, e discute preconceitos e responsabilidades, a promessa de um bom filme deixa a inércia  inerte?!

Outra novidade deve ser os cartões personalizados, serão a mídia rápida do coletivo Cellula, agora nossa doença também será espalhada em papel reciclatto de 4cm por 8cm.

ps: assista o vídeo feito semana passada da música de @Caiooomattoso e captação de @Cajulina


Carta de agradecimento equipe colaborativa do Curta “Oliteralmente”

21 de janeiro de 2011

É com entusiasmo que venho por meio deste, trazer notícias sobre a fase de pós produção finalização – tratamento de imagens e composição da trilha sonora do Curta metragem “Oliteralmente”, com o filme já montado, cortado e costurado, beirando a linha dos 11 minutos e 33 segundos, agora chega a hora duma parte minuciosa que exige dos músicos sensibilidade extrema, quase que cirúrgica para encaixar a emoção exata para cada cena, cada corte, cada suspiro. É a psicologia do ritmo sonoro, aquele que quando coliga com a imagem transforma-se em sétima arte… o áudio, a sonoplastia os ruídos! Um grande potencial na edição e construção de uma obra prima. 

Com isso, nós da Cellula, o que temos a fazer agora é agradecer, a cada única pessoa que participou desse processo suado, trabalhoso, árduo, porém gratificante com a gente! Todos os apoiadores, colaboradores, a equipe inteira, que acreditou e fez acontecer! Desde o Marcelo Biss e a Barbarela, até a Fábrika, nossos pais, o coletivo juntos somos fortes, as lojas que emprestaram figurinos e objetos de cena, os figurantes, os personagens, os responsáveis pelas locações, o editor (Sergião), até os funcionários do lixão, enfim. Todos que de alguma forma fizeram parte dessa história.

Como núcleo Cellula, saímos desta missão mais ricos, não em dinheiro, pois se não fosse a força de trabalho de vocês não conseguiríamos atingir nossas metas, mas sim ricos de estímulo e com a certeza de que vamos continuar produzindo muito, e democratizando nossa arte até o fim, nossa forma de pensar-agir, com o otimismo implícito na obra, de que a realidade é absurda e precisamos jogar com ela, se ficarmos aqui parados nada, nunca, vai mudar.



Programamos finalizar por completo a obra ainda em janeiro, e faremos o lançamento em fevereiro. Antes disso,
vamos agendar uma reunião com a equipe inteira para todos assistirem e darem suas opiniões. A trilha sonora está sendo composta pelo Mayconn Rodrigo, Caio Mattoso, Eduardo Ferreira, Danilo Fochesatto e Fabrício Chabô.

Em breve mais notícias.

Em breve um novo roteiro pra colocarmos a mão na massa. hehe

post by @Cajulina.

Feliz é o ano que começa dando bons resultados.

9 de janeiro de 2011

Depois de um ano todo de consolidação do núcleo através de muito trabalho, produções de curtas metragens e vídeos, oficinas de roteiro em escolas públicas, mostras de cinema independente, baladas cinematográficas, articulações em políticas públicas e dentro da universidade federal e, troca de experiências com os gurus na atividade cultural/social, a Cellula suou e se empenhou, e não é surpresa pra ninguém que isso a tornou uma força potencial para as ações audiovisuais em Cuiabá neste ano.

Não é atoa que já no primeiro mês vamos lançar nosso primeiro trabalho realizado em conjunto com a produtora Biss Filmes & Coisas, #Oliteralmente foi o segundo curta metragem assinado pela Cellula (que com apenas um ano de vida, já mostrou que não brinca de em serviço), e é com satisfação que anunciamos a fase da montagem do filme, essa semana Felippy Damian e eu (Giulia), estamos acompanhando passo a passo essa pós-produção, que a propósito, será totalmente autoral, matéria prima do cinema matogrossense.

Bom,
esse post foi só pra anunciar que em breve,
muito em breve,
coisa nova e boa no cinema vem por aí.
(e esse ano promete muito mais, anotem isto.)

O cartaz é apenas uma prévia,
aceitamos críticas construtivas pra finalizarmos o oficial.

atenciosamente,
@Cajulina, produtora da Cellula

Deu o re-Start, gravações do curta “Oliteralmente” retomam amanhã!

14 de dezembro de 2010

Dominados pela fissura a Cellula começa amanha a retomada das gravações de “OLiteralmente”, a correria da produção incendiária incessante não é insensata. Tudo deve estar nos conformes para conseguirmos de fato consolidar a maturidade que ganhamos depois desse ano denso tenso intenso.

Aguardem mais postagens sobre a produção, em breve o making of estará aqui nesse blog. Fiquem com a sinopse de “O Literalmente”:


“Qual o valor de uma alma? De um coração? Você venderia sua mente? Quanto pagariapela felicidade? Em uma feira, a sua cabeça, exposta na prateleira, é avaliada por seuspensamentos. Algo deve ser dito!”

uma pitada de reconhecimento pelo trabalho árduo de cada dia.

9 de dezembro de 2010

Já começam a soar os primeiros ecos do trabalho Cellular. Na 9a Mostra Nacional de Video Universitário de Mato Grosso fomos contemplados ao todo com 3 premiações: melhor animação para Rainha de Copas, melhor vídeo pelo juru popular para Tiros em Colorbine e uma Menção Honrosa pelo roteiro de Colapso Narciso, que ficou em terceiro lugar como melhor ficção, o primeiro ficou para Garoto Barba, de Cristopher Faust.

A Mostra nacional de vídeo universitario desde seu inicio feita pelo professor Moacir Francisco é a maior vitrine para o cinema universitário e independente no estado, protagonista singular na cena do audiovisual, a  mostra contou com oficinas de direção de arte, fotografia para cinema, e de direção, ministradas respectivamente por Carol Araujo, João bertoli e Bruno Bini.

Se ainda não ouviu os ecos, fique atento,
a Cellula promete gritar mais alto.

@felippydamian

Rainha de Copas:

Tiros em Colorbine:

Colapso Narciso



O preço do feijão.

7 de dezembro de 2010

“Não é mole não R$ 1,60 é o preço do feijão”, era a palavra de ordem que cantava o movimento estudantil  junto a extinta CLTP, há uns cinco anos atrás, para protestar contra o aumento surreal da tarifa do transporte público. O feijão ta na média de R$ 3,50, a tarifa do ônibus subiu recentemente para R$ 2,50, devemos comemorar?

A educação aqui neste país, tão livre quanto neo-liberal, quando não se omite, tende a formar indivíduos deformados coletivamente, é melancólico dizer, mais a UFMT no caso o topo da piramide, apenas forma e conforma, forma e conforma, forma conformados…

Essa realidade não é aceita por todos, alguns secundaristas do Nilo Povoas andam na contramão, junto ao professor de história Bruno Rodrigues, eles produzem o documentário “é o preço do feijão” que faz uma abordagem histórica e analisa a atual e calamitosa conjuntura do transporte público. A Cellula entende qual a importância de democratizar a comunicação e não vai ficar de fora dessa luta, estamos produzindo em conjunto este vídeo com os alunos para dar vazão às suas opiniões.

No dia 25 de novembro, cobrimos com mais de duas horas de vídeo o ato do movimento estudantil que reivindicava a manutenção do passe livre e protestava contra o aumento da tarifa (para R$ 2,50), aumento do IPTU e privatização da SANECAP. No melhor estilo CMI gravamos tudo, inclusive o que não está na pauta dos grandes jornais. As imagens coletadas estão em processo de edição.

Só comemoraremos quando meios de comunicação independentes, ou coletivos de audiovisual  com esta visão como a Cellula não forem mais minoria.

@felippydamian