Archive for the ‘Cellula Produções’ Category

Resenha Cinéfila em cena.

24 de fevereiro de 2011

Não era sábado pra ir pra balada, também não era quinta pra fazer um cinema em casa, era sexta, 18, e quem se decidiu pela Cinéfila não se arrependeu, a balada cinematográfica era de longe distante de tudo que o resto da cidade poderia oferecer, não poderia começar melhor o fim daquela semana.

No set do Dj Mario Olimpio predomiu… nada, ele tocou uma lista eclética que ia do popular ao clássico, rolou lambadão, inclusive Raul Seixas. Em seguida Fabricio Chabô tocou um eletro rock psicodelirante, imagens do gênio Hitchcock eram exibidas num telão, foi o passaporte pro público viajar.

A proposta de ensaio aberto aceita por Billy Brown e o Incrível Magro de Bigodes, e Cacarecos e Musiquetas foi outro fator que alterou toda a equação de status de uma festa. Era como se tivesse uma banda ensaiando na sua sala, enquanto BBIMB fazia um som com apenas guitarra e batera, suprindo com exatidão as freqüências de um baixo tal qual White Stripes. Caio Mattoso dava vazão às suas piras em um “cavalo louco”, como definiu Eduardo Ferreira.

Almerinda George Lowsbi foi a principal presença do evento, interagindo com o público daquela sua forma peculiar. Aproveitou para divulgar o seu programa “Na Cama com Almerinda” que estreou nesta segunda-feira.

A exposição de fotografia do Heitor foi uma das coisas mais comentadas, afinal a luz vermelha que remetia uma sala de revelação deu um clima, e suas fotos foram tidas como o foco mais conceitual da balada que resolveu por fim quebrar o padrão e ir contra fluxo total.

Te esperamos na próxima Cinéfila,
cada vez dando mais certo.

Clique na foto da ilustração e acesse as fotos do evento cultural.

pelo visto o trem vai ser bom mesmo.

17 de fevereiro de 2011

Cellula pulsando a 200 km/h.

8 de fevereiro de 2011

Obedecendo a única lei que o Coletivo Cellula conhece, a lei que proíbe a inércia, estamos no 220V para produzir audiovisual em hell city, nesse exato momento quebrando a cabeça e montando os quebra-cabeças para inscrever dois projetos no edital da secretaria de cultura estadual.

O primeiro é o progressista Cine Lab, que visa popularizar o cinema na baixada cuiabana e no estado, o projeto deve ser o prato principal para o fomento e formação no cinema e vídeo servido pela Cellula nesse 2011.

O segundo é o curta “De Quem é a culpa”, roteiro e direção de @FabricioChabo, uma viagem que visita Sartre, e discute preconceitos e responsabilidades, a promessa de um bom filme deixa a inércia  inerte?!

Outra novidade deve ser os cartões personalizados, serão a mídia rápida do coletivo Cellula, agora nossa doença também será espalhada em papel reciclatto de 4cm por 8cm.

ps: assista o vídeo feito semana passada da música de @Caiooomattoso e captação de @Cajulina


Carta de agradecimento equipe colaborativa do Curta “Oliteralmente”

21 de janeiro de 2011

É com entusiasmo que venho por meio deste, trazer notícias sobre a fase de pós produção finalização – tratamento de imagens e composição da trilha sonora do Curta metragem “Oliteralmente”, com o filme já montado, cortado e costurado, beirando a linha dos 11 minutos e 33 segundos, agora chega a hora duma parte minuciosa que exige dos músicos sensibilidade extrema, quase que cirúrgica para encaixar a emoção exata para cada cena, cada corte, cada suspiro. É a psicologia do ritmo sonoro, aquele que quando coliga com a imagem transforma-se em sétima arte… o áudio, a sonoplastia os ruídos! Um grande potencial na edição e construção de uma obra prima. 

Com isso, nós da Cellula, o que temos a fazer agora é agradecer, a cada única pessoa que participou desse processo suado, trabalhoso, árduo, porém gratificante com a gente! Todos os apoiadores, colaboradores, a equipe inteira, que acreditou e fez acontecer! Desde o Marcelo Biss e a Barbarela, até a Fábrika, nossos pais, o coletivo juntos somos fortes, as lojas que emprestaram figurinos e objetos de cena, os figurantes, os personagens, os responsáveis pelas locações, o editor (Sergião), até os funcionários do lixão, enfim. Todos que de alguma forma fizeram parte dessa história.

Como núcleo Cellula, saímos desta missão mais ricos, não em dinheiro, pois se não fosse a força de trabalho de vocês não conseguiríamos atingir nossas metas, mas sim ricos de estímulo e com a certeza de que vamos continuar produzindo muito, e democratizando nossa arte até o fim, nossa forma de pensar-agir, com o otimismo implícito na obra, de que a realidade é absurda e precisamos jogar com ela, se ficarmos aqui parados nada, nunca, vai mudar.



Programamos finalizar por completo a obra ainda em janeiro, e faremos o lançamento em fevereiro. Antes disso,
vamos agendar uma reunião com a equipe inteira para todos assistirem e darem suas opiniões. A trilha sonora está sendo composta pelo Mayconn Rodrigo, Caio Mattoso, Eduardo Ferreira, Danilo Fochesatto e Fabrício Chabô.

Em breve mais notícias.

Em breve um novo roteiro pra colocarmos a mão na massa. hehe

post by @Cajulina.

Feliz é o ano que começa dando bons resultados.

9 de janeiro de 2011

Depois de um ano todo de consolidação do núcleo através de muito trabalho, produções de curtas metragens e vídeos, oficinas de roteiro em escolas públicas, mostras de cinema independente, baladas cinematográficas, articulações em políticas públicas e dentro da universidade federal e, troca de experiências com os gurus na atividade cultural/social, a Cellula suou e se empenhou, e não é surpresa pra ninguém que isso a tornou uma força potencial para as ações audiovisuais em Cuiabá neste ano.

Não é atoa que já no primeiro mês vamos lançar nosso primeiro trabalho realizado em conjunto com a produtora Biss Filmes & Coisas, #Oliteralmente foi o segundo curta metragem assinado pela Cellula (que com apenas um ano de vida, já mostrou que não brinca de em serviço), e é com satisfação que anunciamos a fase da montagem do filme, essa semana Felippy Damian e eu (Giulia), estamos acompanhando passo a passo essa pós-produção, que a propósito, será totalmente autoral, matéria prima do cinema matogrossense.

Bom,
esse post foi só pra anunciar que em breve,
muito em breve,
coisa nova e boa no cinema vem por aí.
(e esse ano promete muito mais, anotem isto.)

O cartaz é apenas uma prévia,
aceitamos críticas construtivas pra finalizarmos o oficial.

atenciosamente,
@Cajulina, produtora da Cellula

Parceiros de luta.

28 de agosto de 2010

Dentre os defeitos da equipe de “Vende-se” certamente não estará a ingratidão, tanto que escrevemos este texto só pra agradecer a galera que compõe o formigueiro. Sabemos quão fundamental é o trabalho colaborativo pra dar a direção da consolidação das nossas metas, dentre elas, mostrar ao mundo através da arte, a forma que enxergamos a vida. As experiências e olhares de cada um é complementar no processo da construção em grupo, isso provoca fusão de conceitos que resulta numa verdadeira obra de arte.

A maior parceria do Núcleo Cellula nessa produção é o coletivo Juntos Somos Fortes, estudantes da UFMT sedentos por dissipar a comunicação, a quem tem direito, o povo.

Das coisas mais surreias que já  nos aconteceu na preparação do curta, está em destaque sem duvida a adição da Biss Filmes e Coisas na equipe, por meio do inquieto Chabô, que convidou Marcelo e Barbara, estradeiros das antigas, dispuseram toda a experiencia que falatava para dar um “q” de profissionalismo à produção. A preparção de elenco feita por André d’Luca foi uma tempestade incendiária, experiência inesquecível pra todo mundo.

O que dizer da ZIM Empreendimentos, parceira tão antiga quanto constante? Ganhar grana outros também sabem, mas é a consciência de investir a grana na cultura dentro da propria UFMT que distingue a ZIM de qualquer outra iniciativa empreendedora que se já teve notícia….que já se teve noticia.

Estendemos os agradecimentos a Brindes e Cia, Marajá, Papelaria Ipiranga, Eduardo ferreira, Espaço Cubo, Cufa, e toda a equipe e elenco que acreditam, entre outros que conseguem ver a chuva chegando, e ralam como nunca debaixo do sol, do sol cuiabante só pra ver o formigueiro tomar a cidade e a nossa doença se espalhar.

ps: não se esqueçam, Domingo às 8h estaremos na praça Alencastro para o primeiro dia de gravação do curta Vende-se. Vamos fazer juntos? ligue pra nossa produtora Rita Duarte – 9912 1559 – cellulaproducao@gmail.com

Cinema + Cachaça + Danceteria.

25 de agosto de 2010
~
A dica pro final de semana é imperdível, pois nesse sábado dia 28 de agosto, acontece na cena urbana mais calorosa do Brasil, a “Cinéfila”, balada cinematográfica, no reduto indie de Hell City – Casa Fora do Eixo.

O cinema para fumantes, cafeinólotras e compulsivos em geral, traz nessa edição uma novidade no conceito. Rodízio de drinks para quem acompanhar desde o início (22h) e ser parte da comissão curadora do bar para os cardápios das próximas baladas na CAFE. São apenas 20 pulseiras para consumir as bebidas quentes ao custo de 6 reais na lista amiga. (envie seu nome com antecedência, clique aqui.)

Não perca a oportunidade de refinar seu paladar e apreciar o início da noite com Alice no País das Maravilhas ao som de The Dark Side Of the Moon, prestigiado CD do Pink Floyd.

Logo após meia noite (00h), a pista abre, e os Dj’s Fade in + Fabrício Chabô + Soundtracks, assumem a direção do resto da madrugada.

Fica aqui, a boa dica pela Próxima Cena & a Cellula pra vocês.
Até lá.

Oficina de preparação de elenco com André d’Lucca

21 de agosto de 2010

As gravações estão quase chegando, as pré-produções já começaram. E o clima de ansiedade paira no ar.

No último domingo e ainda na segunda, aconteceu a oficina de preparação do elenco do curta metragem “Vende-se”, com o ator André D’lucca na produtora Biss Filmes & Coisas. Num ambiente inspirador e baseando-se em seus personagens do roteiro, os atores fizeram uma prévia do que irão encenar no curta.

A correria já começou. Correria literalmente, já que alguns dos atores precisaram até correr para dar aquela aquecida e também fazer exercícios para perder a tal da timidez na frente das câmeras. Cada um sentindo a necessidade de entrar na pele de seu personagem, passando o máximo de suas características entre erros, acertos e risadas, até chegar ao ponto essencial de sua encenação.

Tudo isso, é claro que foi registrado e o material fará parte do making of do curta metragem. Agora é esperar e contar os dias para entrar em ação de verdade.

enquanto isso,
fique atento nas novidades da produção, e se tiver interesse em se juntar na luta pelo audiovisual do mato, entre em contato!

texto by: Bianca Poppi, Figurinista e Produtora.
@_poppi

Visita ao lixão desperta reflexões. Locação do Curta Metragem “Vende-se”.

15 de agosto de 2010

Somos tão vitimas quanto cúmplices! É o que diz Sartre, é o que grita toda nossa sociedade com seus atos, mas também é o que balbucia dona Josefina. Dona Josefina, apenas isso, trabalhadora. Tem orgulho da filha que faz faculdade, vergonha do prefeito, Murilo Domingos, que a não cumpriu uma promessa feita pessoalmente. Ela trabalha entre, em cima, e com lixos, no lixão de Várzea Grande. Diz que os urubus só ajudam, rasgando sacolas, enquanto a prefeitura não dá assistência para os trabalhadores. No seu trabalho encontra vestígios de produtos que já mais poderia comprar, a única forma desse contato se dá naquele lugar.

Aquele é o lugar dos rejeitados, são produtos, eletrodomésticos, mobília e……….pessoas. Sintetiza a lógica do consumo, do tão moderno sistema econômico, arcaico naturalmente por essência.

O que é dito na mídia? Senão o discurso circense, que para nós achamconveniente. Mas existe uma voz para dizer. O Núcleo Cellula ao lado do Coletivo Juntos Somos Fortes vêem o audiovisual como importante meio propagador de conceitos, viés relevante para dar voz para a maioria, que só tem ouvidos. O curta-metragem “Vende-se” tem a pretensão de ser um megafone para pessoas como a trabalhadora dona Josefina.

Os humildes ambiciosos produtores, ou “loucos visionários”, como prefere Eduardo Ferreira, esperam externar ao público através da obra, todas as sensações desta visita há essa outra realidade, diferente da nossa de pequeno-burgueses, mas vizinha.

acesse o flickr e veja mais fotos de Cícero Lima, das locações do próximo curta metragem do grupo.


texto by Felippy Damian – Núcleo Cellula.

Fecundando mais um Curta Metragem.

17 de julho de 2010

Foi dada a largada para o início de mais uma produção Cellula. A bola da vez é o filme Vende-se, o roteiro é de autoria de Felippy Damian que dessa vez vai se arriscar na direção também.

Essa nova produção contará com uma equipe coordenada pelo núcleo Cellula, composta por alguns estudantes de comunicação da UFMT. Essa semana já rolou a segunda reunião com a equipe do filme. O time que ainda está em período embrionário de formação e experimento, está de portas abertas, se você se interessa em produzir um “curta pscicodélico” junta-se a nós. Ainda há tempo.

A pré produção do curta “Vende-se” já começou, e as gravações ocorrerão na segunda quinzena de agosto em locações a serem definidas dentro e fora de Cuiabá. Durante esse processo criativo, todos tem direito a voz, o que torna essa coisa de trabalho colaborativo muito mais interessante.
Na próxima terça-feira às 19h acontecerá mais uma reunião do filme no IL da UFMT, estão todos convidados a participar.