Posts Tagged ‘Cinema’

Visita ao lixão desperta reflexões. Locação do Curta Metragem “Vende-se”.

15 de agosto de 2010

Somos tão vitimas quanto cúmplices! É o que diz Sartre, é o que grita toda nossa sociedade com seus atos, mas também é o que balbucia dona Josefina. Dona Josefina, apenas isso, trabalhadora. Tem orgulho da filha que faz faculdade, vergonha do prefeito, Murilo Domingos, que a não cumpriu uma promessa feita pessoalmente. Ela trabalha entre, em cima, e com lixos, no lixão de Várzea Grande. Diz que os urubus só ajudam, rasgando sacolas, enquanto a prefeitura não dá assistência para os trabalhadores. No seu trabalho encontra vestígios de produtos que já mais poderia comprar, a única forma desse contato se dá naquele lugar.

Aquele é o lugar dos rejeitados, são produtos, eletrodomésticos, mobília e……….pessoas. Sintetiza a lógica do consumo, do tão moderno sistema econômico, arcaico naturalmente por essência.

O que é dito na mídia? Senão o discurso circense, que para nós achamconveniente. Mas existe uma voz para dizer. O Núcleo Cellula ao lado do Coletivo Juntos Somos Fortes vêem o audiovisual como importante meio propagador de conceitos, viés relevante para dar voz para a maioria, que só tem ouvidos. O curta-metragem “Vende-se” tem a pretensão de ser um megafone para pessoas como a trabalhadora dona Josefina.

Os humildes ambiciosos produtores, ou “loucos visionários”, como prefere Eduardo Ferreira, esperam externar ao público através da obra, todas as sensações desta visita há essa outra realidade, diferente da nossa de pequeno-burgueses, mas vizinha.

acesse o flickr e veja mais fotos de Cícero Lima, das locações do próximo curta metragem do grupo.


texto by Felippy Damian – Núcleo Cellula.

Convite Cinéfila – Balada Cinematográfica da Cena.

9 de junho de 2010

Cinema para fumantes, cafeinólatras e compulsivos em geral.

A cinefilia é o gosto pelo cinema e o interesse demonstrado por tudo aquilo que se relaciona com a sétima arte. Quem se interessa pelo cinema é considerado cinéfilo ou no nosso caso, Cinéfila.

A Cinéfila veio para lembrar a classe colonizada de que ainda é possível assistir filmes em centros culturais e Cine Clubes, preservar a cultura do cinema de calçada por causa histórica e sentimental, e ainda unir o entretenimento à arte, fazendo a junção do Cine-Café-Bar e Discotecagem, numa programação que se define como uma mistura de artes visuais, experimentos, música, dança, e acaso.

Exibiremos a partir das 21h dois curtas, um deles de origem francesa, “Mei Ling” da diretora Stephanie Lansaque & Francois Leroy é uma animação que conta a história da Mei Ling, uma jovem chinesa ociosa, mora sozinha em seu apartamento, a espera do seu amor. Um dia, ela acha um pequeno polvo na pia da cozinha. Ela decide adotá-lo para evitar o tédio. Mas o polvo vai crescendo…

O segundo curta será “Logorama” (made in USA), Uma perseguição espetacular de carros, uma intensa situação de reféns, animais selvagens enlouquecendo a cidade. Tudo isso e muito mais é apenas um pano de fundo para mostrar como as logomarcas se tornaram parte de nossas vidas.  Com a direção de François Alaux,  Herve de Crecy, Ludovic Houplain foi premiado no Festival de Cinema de Cannes, onde recebeu o premio de melhor curta.


Logo após, passaremos o longa “A single Man” (“Direito e Amar”) do diretor Tom Ford (leia aqui a resenha na íntegra escrita pelo Thales do Cellula)

Lembrando que a sessão começa com a apresentação de um curta autoral realizado em Cuiabá a escolha do público. E logo após a mostra começa balada com os Dj’s em cartaz!

Então é isso, anotem aí, $6,00 dia 11.06 às 21h na Casa Fora do Eixo.
cadastre-se na lista amiga. www.casaforadoeixo.com.br

Assistam os trailers dos filmes, são muito bons.

Resenha de Segunda – S.Darko – Chris Fisher

24 de maio de 2010

Depois de uma segunda atribulada cheia de trabalhos que infelizmente não tive tempo de trazer uma resenha para vocês, esta segunda voltamos normalmente com a resenha de S Darko, continuação de Donnie Darko, de Richard Kelly.

Quando Soube que a História de Richard Kelly ganharia uma continuação e não seria por suas mãos, eu sabia, com muita certeza, que não sairia algo bom, visto que um outro diretor/roterista representa uma outra cabeça, com outra vivência, e com uma outra visão sobre a história de uma outra pessoa, o foco da história principal seria comprometido, e foi.

(more…)

Resenha de Segunda – The Taking of Pelham 123 ( O sequestro do Metrô 123)

10 de maio de 2010

Jhon Travolta, este é o nome que atrai você para o cinema quando você assiste ao trailer de “the taking of Pelham 123” (No Brasil adaptado para O sequestro do Metrô 123), e acredite, não vale a pena assistir um filme apenas por causa do nome de um ator que você sabe que é fantástico, mesmo que seja Jhon Travolta, pelo menos não no caso de “Pelham 123”.

(more…)

Resenha de Segunda – The Box (A caixa) – Richard Kelly

26 de abril de 2010

Quando Assisti ao trailer de “The Box” meses atrás na internet, esperava por algo como uma trama policial instigante, rápida, cheia de corpos brotando durante sua extensão e tornando a gente cada vez mais desesperado em encontrar um suposto assassino, e confesso que, interessado pela atução de Cameron Diaz num thriller, mas quando vi o nome “Richard Kelly” no final do trailer eu soube que não seria só isso, e não foi.

(more…)

Klaxon, buzinada de automóvel. Pare sobre os olhos.

21 de abril de 2010

É com um sentimento gratificante que venho anunciar por meio de uma buzinada que faça-os parar e olhar sobre os olhos, o mais novo movimento que acabou de brotar, aquilo que podemos apelidar de “coletivo de coletivos” ou junção de diferentes linguagens como o Cinema, Games, Gastronomia, Moda, Fotografia, Teatro, Música e Literatura, segmentos que se uniram para multiplicar a força de trabalho prezando pela qualidade de cada ação do grupo.

O fato é que a idéia de formar o “Klaxon” se deu após o primeiro laboratório realizado em conjunto no Curta Metragem “Colapso Narciso”, onde foi a oportunidade para que as células produtivas se interagissem e percebessem que há um denominador comum no meio a tanta diversidade e autenticidade. A idéia do grupo é que não exista limites para a criação, a ousadia e a experimentação são sempre bem vindas, que não haja um chefe ou qualquer cargo hierárquico, e sim que todos participem das diferentes fases das produções de forma colaborativa.

Daqui pra frente, cerca de 20 pessoas estimuladas em construir e transformar, que adotaram o conceito da cultura livre, e a contravenção da arte que tanto marcou os anos 50/60, se coligaram com fins de unir o requinte da contra-cultura já passada, e adequar esses conceitos a realidade que vivemos hoje. Isto é, de forma peculiar e chocante, mostrar as novidades de um mundo moderno para a sociedade selvagem.

No fim das contas, o que realmente importa é a ação, então os convido de primeira mão para o parto do filho, quero dizer, dia 8 de maio vai rolar a primeira edição do projeto “Balaio” feira multi cultural. Que reunirá de forma quase que caótica, todos os segmentos pertencentes a esse movimento. Ouso dizer que com 12 horas de intervenções artísticas e interação com o público dentro de uma feira onde tudo pode acontecer, será um dos maiores acontecimentos do ano até agora.

Fico feliz de podermos contar com a Casa Fora do Eixo como abrigo para esse manifesto pela arte.


post by:
Giulia Medeiros,
@cajulina

Resenha de Segunda – Caso 39 – Christian Alvart

20 de abril de 2010

Uma proposta nova, trazer toda segunda feira a resenha de um filme, seja ela positiva ou não.
para iniciar o “Resenha de Segunda” trago “Caso 39” Thriller de suspense que está em cartaz nos cinemas cuiabanos, segue a resenha.

Quando você Junta a direção de Christian Alvart (Pandorum, Antikörper) – dois filmes muito bem dirigidos  – e o roteiro de Ray Wright, já conhecido por seus roteiros,Pulse(no Brasil Vozes do Além)Fatal Desire(Desejo Fatal, em terras tupiniquins), você espera que algo bom saia daí, mas não me decidi ainda se posso chamar de Case 39 de algo Bom.
(more…)

Projeto de captação Curta Metragem disponível.

17 de março de 2010

O projeto comercial de um filme nada mais é que uma das principais peças para o desenvolvimento do todo, nele temos o perfil conceitual e prático daquilo que estamos ofertando, com os objetivos e todas as informações necessárias sobre o planejamento de execução do projeto. Apontamos os dados de todos os setores de produção, da agenda de filmagens até o plano de mídia como contrapartida ao cliente. Usamos essa ferramenta para captar possíveis recursos de empresas privadas como apoios culturais, patrocínios em verba, produtos ou serviços para o filme.

No caso do “Colapso Narciso”, curta metragem de R$9.000,00 de orçamento, precisa de alguma forma viabilizar esse montante. Por isso que, a famosa “pastinha na mão e cara de pau” não fatores importantes para um produtor cultural que atua em campo.

É bom frisar que faremos o filme acontecer independente de ter ou não o apoio das empresas privadas ou órgãos públicos. E vai ficar lindo. Aguardem.

Acesse o projeto de captação do filme aqui!

Giulia Medeiros – @cajulia
cellulaexecutiva@gmail.com