Posts Tagged ‘Coletivo Klaxon’

Colpaso Narciso rende frutos ao cinema do mato.

18 de maio de 2010

equipe curta metragem Colapso Narciso

O acontecimento da ultima sexta-feira 14, foi certamente compensador. Quando vi que o público superava 200 numa sala quase super lotada no Centro Cultural da UFMT, e que estas pessoas saíram das suas casas para ir assistir o resultado do nosso trabalho, me dei conta do poder de mobilização que o cinema tem e o quanto gerar conteúdo é importante para fomentar e continuar movimentando a cena das artes visuais.

É arrepiante a sensação que se apodera da nossa sanidade nos minutos antes de dar o “play” e soltar uma produção artística nossa, imagino que seja a mesma de um ator antes de subir ao palco, ou uma banda se preparando para tocar, ou um dançarino no backstage se concentrando no que vem pela frente. Todo o esforço de uma equipe inteira, alguns dias sem dormir (doses de ansiedade na veia) para que tudo desse certo, cada minuto das reuniões produtivas e contribuições de força de trabalho de uma rede toda para que isso acontecesse, cada um foi papel importante para chegarmos neste instante, naqueles 15 minutos de imagem e som produzidos por nós mesmos, que, diga-se de passagem, conseguem envolver com maestria a gente numa realidade de sonho e arte pura.

Enfim, concluir um ciclo é bom. Mas às vezes pesa, agora se você ainda não assistiu Colapso Narciso, Quinta-feira exibiremos uma sessão especial às 21h na “Cinéfila” as quintas na Casa Fora do Eixo sendo ocupadas por uma organização de artes visuais que busca capacitação e tem como prática requisito fundamental para a sua formação.

Projeto Balaio disponível!

14 de maio de 2010

Como frente gestora de produção do Cellula e do Coletivo Klaxon, faz parte das tarefinhas de casa, (aquelas que sabemos que tem que ser feitas logo que abrimos os olhos pela manhã, e que quando finalizamos damos um “checked out” de missão cumprida,) a elaboração do essencial Projeto para Planejamento e Captação de recursos em campo, com parcerias privadas e incentivos públicos, e principalmente com entidades que oferecem força de trabalho e produtos como moeda solidária para a viabilidade dos eventos.

Foi com essa ferramenta que, por exemplo, conseguimos o patrocínio cultural da Grafica Atalaia com 1mil zines coloridos para a distribuição em lugares estratégicos, e também o apoio em $140,00 Cubo Cards do Espaço Cubo com os materiais das oficinas de Moda e Fotografia na Rodarte.

Para ter acesso ao modelo, que consta apresentação, justificativa, objetivos, orçamentos, equipe, itens de produção, plano de mídia, contrapartida, cotas de apoio e organização se encontram aqui!

Cinema, psicodelia, mistura de vertentes e muito mais em um só lugar! #Balaio

5 de maio de 2010

Bum. É isso mesmo, de um bum nasce em Cuiabá um movimento incendiário para fomentar a cultura alternativa. Tente me acompanhar, gastronomia rápida e barata, intervenções de teatro, cinema experimental, fotografia, moda, literatura, musica independente, jogos em rede, torneio de guitar hero… Junte tudo isso num balaio e misture por doze horas, e não estamos falando de dadaísmo, você vai encontrar o produto desse mix na casa fora do eixo na sábado, a partir das 14 horas.O evento, nada mais sugestivo, se chama Balaio, uma feira multicultural organizada por um coletivo de coletivos, que atende por Coletivo Klaxon, surgindo logo após o primeiro laboratório realizado de forma colaborativa no filme “Colapso Narciso” com fins de ir além com as produções autorais desenvolvidas pelo grupo.

Como traduziríamos tanta psicodelia? Claro. O curta metragem “Colapso Narciso”. Volte a me acompanhar, um universitário comum, com um monte de problemas comuns, vê apenas reflexos dele mesmo, situação que lhe dá conforto, desconhece o conceito de alteridade, esse cara de mente pacata e perturbada, entra em total colapso ao perceber que o seu reflexo não é exatamente como ele achava ser. Na direção de Mauricio Falchetti essa historia ganha um outro ar, dando a obra uma cara polissêmica, aproximando o público da ficção, que varia entre um suspense intimista e drama. É a primeiro trabalho do núcleo Cellula, que tenta mostrar em pouco mais de 15 minutos o quanto pode oferecer para a cena audiovisual da capital mais quente do país. “Colapso narciso” vem pra confrontar uma frase que eu ouvi esses dias por aí, “a vida não imita a arte, e sim um programa de TV ruim”.

Ah se você não entendeu nada desse texto, achou ele confuso e mal escrito?Casa fora do eixo, dia 8 de maio, sábado, a partir das 14 horas. Topa?

Post by: @FelippyDamian – Roteirista e produtor do Núcleo Cellula